Wikipédia: maior caso de corrupção desvendado – “Esquema Quintinense”

Em março desse ano saiu o resultado da “longa e intensa investigação” do “Esquema Quintinense“, considerado pelos verificadores (investigadores) da Wikipédia como “um dos mais graves e escabrosos casos de corrupção, formação de conluio, troca de favores e meatpuppetry [um tipo de fantocharia que consiste do uso de contas de outras pessoas para passar a agenda do fantocheiro] da história da Wikipédia lusófona”. Esse Esquema foi delatado por Raimundo57br, um dos envolvidos, em janeiro, alegando que o Quintinense usou-o e depois o descartou.

Quintinense em carne e osso na 4ª WikiRio (encontro de editores da Wikipédia da cidade do Rio de Janeiro). Fonte: Wikimedia Commons.

Quintinense em carne e osso na 4ª WikiRio (encontro de editores da Wikipédia da cidade do Rio de Janeiro), em 2010.
Fonte: Wikimedia Commons.

Quintinense é um usuário fantocheiro banido indefinidamente em 2010 por tentar manipular eliminações de artigos em favor da manutenção, usando contas falsas para dar mais apoio do quê a posição dele tinha (na época as decisões de eliminação eram por votação, hoje são por consenso), e que posteriormente passou a fazer alterações das mais diversas nas políticas e decisões da Wikipédia, tentando direcionar o projeto sozinho, o que vai contra o espírito colaborativo do mesmo.

Foram identificadas 10 contas comprometidas:

  1. Raimundo57br: réu confesso, mantido o filtro no domínio Wikipédia (impedimento de editar nas páginas que decidem o rumo do projeto);
  2. Matheus Faria (ex-administrador): réu confesso, banido indefinidamente. Depois de chegar ao cargo, devido a estreitas relações com outro fantoche do Quintinense,  Maria Madalena, um sockpuppet (conta mantida pelo próprio fantocheiro), emprestou sua conta para o Q. Quando viu o que se passava, renunciou o cargo e abandonou o projeto;
  3. Mário Henrique (ex-administrador): suspeito de ser meatpuppetry (conta que não pertence ao fantocheiro, mas que “faz favores”, passa a agenda dele), banido indefinidamente após análise comportamental ser discutida com a comunidade;
  4. Richard Melo da Silva (eliminador): suspeito de meatpuppetry, banido indefinidamente após análise comportamental ser discutida com a comunidade;
  5. Gusta (eliminador): réu confesso, a conta foi compartilhada (meatpuppetry) com o Q através de seu fantoche sockpuppet Maria Madalena;
  6. Maria Madalena (ex-eliminadora): operadora do Esquema juntamente com o Q. Suspeitava-se de ser sockpuppet (conta do próprio Q), mas não há evidências técnicas, bem como não há evidências comportamentais para declará-la meatpuppet (conta emprestada). Foi banida indefinidamente por agir de má-fé (operando o Esquema) e usar sockpuppets (as contas que emprestaram para ela);
  7. Mar França: fantoche (meatpuppet) óbvio de longa data, cujo único objetivo era ditar os rumos do projeto. Foi recrutado fora da Wikipédia para defender a agenda do Q. Banido indefinidamente;
  8. Onjacktallcuca: bloqueado em infinito por meatpuppetry, conforme análise comportamental;
  9. SANDRO NUNES COUTO: bloqueado indefinidamente por meatpuppetry, novato possivelmente aliciado;
  10. Tut – Caçador de Vândalos: sockpuppet confirmado por investigação técnica.

Há mais usuários suspeitos, mas sem provas suficientes para que alguma ação contra eles seja tomada.

4 comentários

  • Pingback: Wikipédia – oficializado novo informativo: “estar aqui para construir uma enciclopédia” – Anders Bateva

  • Pingback: TOP 10 Anders Bateva 2015 – Anders Bateva

  • Infelizmente anônimo

    Sou um dos chefes do editorial de um dos dois maiores, mais renomados e mais vendidos dicionários de língua portuguesa. Já fui consultor também do outro dos dois dicionários. Ganho mais que muito médico trabalhando apenas algumas horas por semana usando todo meu conhecimento acumulado em linguística, língua portuguesa, toponímia etc. Talvez o puro altruísmo, talvez, não nego, em parte o tédio me levaram a me tornar colaborador voluntário da Wikipédia. Pelo mesmo serviço com o qual sustento muito bem toda minha família há décadas, dispus-me a servir de graça à Wikipédia. Só que nunca fiz questão absolutamente nenhuma de me “socializar” (para isso tenho o Facebook) com o restante da comunidade que manda na Wikipédia lusófona e, honestamente, nunca tive nenhuma paciência para empreender discussões com meninos de 15 anos que detêm o poder lá, para precisar “convencê-los” (optei por fazer trabalha de correção de graça, não dar aula para gente desconhecida em páginas de discussão). Resultado? Fui banido e todas as centenas de correções que havia feito, revertidas. E a Wikipédia jogou no lixo, contando quanto cobro por hora de revisão profissional (para as melhores editoras e academias do Brasil e de Portugal) quase 1 milhão de reais em consultoria grátis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*